Come out of shell

Quanto mais pesquiso expressões idiomáticas, mais percebo como as traduções literais têm se espalhado pelo nosso idioma.

Come out of shell é um desses casos.

Que eu me lembre, nunca ouvi falar em “sair da concha”, mas pesquisando agora na internet, encontro milhares de ocorrências. E o que é pior, com os significados mais variados.


Pesquisei em várias dicionários online e a definição em todos eles é muito parecida:​
Cambridge Dictionary – to become more comfortable and friendly with people:
MacMillan Dictionary – to stop being shy and begin to confidently show your real character and feelings
The Free Dictionary – to become more friendly; to be more sociable. (Alludes to a shy turtle putting its head out of its shell.)

Tradução não é uma ciência exata e existem várias formas de passar a mensagem, mas, na minha opinião, traduções literais de expressões idiomáticas deixam o texto com cara de tradução, “soam” de maneira esquisita. Quando não temos uma expressão equivalente em português, é melhor escrever de outra forma que deixe o texto (ou a fala, no caso de legendagem) mais natural, como se o original fosse na nossa própria língua.

Eu escutei a expressão come out of her shell revisando uma palestra do TED sobre introversão. A frase era a seguinte:
In second grade, I was often described as a shy, quiet girl who had yet to come out of her shell.

O tradutor deu uma ótima solução, natural e bem adequada ao tom da palestra:
Na segunda série, geralmente me descreviam como uma garota tímida que ainda não tinha conseguido se enturmar.

Outras opções de tradução, dependendo do contexto e forma poderiam ser: desinibir-se, largar a timidez, se soltar.

Em Portugal, se usa a expressão sair da casca. Apesar de falarmos o mesmo idioma, usamos expressões idiomáticas muito diferentes.