Front and center

Talvez você já tenha lido ou escutado por aí “alguma coisa é central e frontal” ou “alguma coisa está na frente e ao centro” e ficou pensando “acho que entendi, mas parece que tem algo errado, isso não soa muito natural em português”.

Você tem toda a razão.

Front and center é um comando bastante utilizado, principalmente em círculos militares ou em assembleias de estudantes, para ordenar que uma pessoa venha para a frente e para o centro. Nesse caso, a tradução precisa ser literal.

Você já deve ter visto uma cena dessas em algum filme. Geralmente com fileiras e mais fileiras de soldados e o coronel chama o nome do sujeito e berra: “Front and center!”
Então o soldado sai da fileira dele, que geralmente é quase no final do bloco de soldados, só para mostrar toda a caminhada até a frente e ficar mais emocionante.
E quando ele chega na frente e no centro, a câmera mostra todos os outros soldados olhando para ele.

Geralmente é para prestar uma homenagem. Você pensou que era para passar uma descompostura? Cenas de bronca em soldados geralmente envolvem sargentos berrando com o cara ali mesmo na fileira. E depois mandando pagar 20 flexões ou correr 5 quilômetros, ou algo igualmente prazeroso.

Mas, então, visualizou a cena? O soldado ali na frente e no centro e todos os outros olhando para ele.

É por isso que front and center também é uma expressão idiomática que, quando usada como adjetivo ou advérbio, pode ser traduzida como:

  • em evidência
  • em uma posição proeminente
  • no centro das atenções
  • na liderança

O Google me contou que Front and Center também é uma empresa que produz uma série de shows de música para televisão que também se chama Front and Center. Até que é um bom nome para quem quer estar em evidência, no centro das atenções.

Como sempre, contexto é tudo na hora de traduzir.

Referências:

Merriam-Webster

The Free Dictionary

Oxford Dictionary

MacMillan Dictionary

Phrases.org.uk

Stir the pot

Geralmente, traduzimos stir the pot como “jogar lenha na fogueira“, mas é preciso prestar atenção ao texto de partida porque nem sempre é essa a intenção do autor.

Uma expressão idiomática normalmente evoca uma imagem, e mexer a panela (tradução literal) não tem nada a ver com jogar lenha na fogueira, que tem um sentido claro de atiçar algo que já está pegando fogo.

De acordo com o site phrases.org.uk que gosto muito, a explicação para a expressão stir the pot é a seguinte:
Imagine uma panela de sopa. Muitos ingredientes podem estar escondidos lá no fundo e só aparecem quando mexemos a panela.

Metaforicamente, muitos problemas ou ressentimentos podem ficar esquecidos no fundo da nossa mente, mas continuam lá. É só quando alguém provoca (“mexe a panela”) é que eles vêm à tona.

Assim, stir the pot também pode ser usado no sentido de provocar uma discussão. Nesse caso, uma boa expressão em português seria “mexer em casa de marimbondo“.

É sempre bom lembrar que, quando traduzimos, precisamos entender o que o autor estava querendo transmitir para não exagerar o tom ou dar um sentido diferente do que ele pretendia.

E para terminar, o que seria da internet se não fossem os memes, certo? Note que cada um pode ter um sentido diferente, atiçar o que já está queimando ou provocar uma situação.

Crunch numbers

Antes de mais nada, crunch numbers NÃO É “triturar os números”.

O Google Tradutor, vulgo GT, diz que é, mas a gente sabe que não dá para confiar em tudo o que ele diz. Você vai encontrar muitas ocorrências com essa tradução incorreta pela internet, provavelmente enganados pelo nosso amigo GT.

Se você precisar traduzir a expressão crunch numbers, pode usar uma dessas opções perfeitamente aceitáveis:

  • fazer as contas
  • fazer os cálculos
  • analisar os números

Dependendo do contexto e do registro do que estiver traduzindo, você pode até mesmo quebrar a cabeça com os números, mas não triture os coitadinhos.

É possível que você encontre essa expressão como number crunching. O significado é o mesmo e o site word hippo tem uma série de sinônimos e palavras relacionadas.

De acordo com o The Free Dictionary, expressão crunch numbers se originou na era do computador,  na segunda metade do século XX, para se referir a operações realizadas por computadores. Antes dos computadores, todos os cálculos eram feitos à mão (ou de cabeça) e poderiam levar um tempão. Uma das primeiras e mais básicas operações dos computadores de antigamente era fazer cálculos. Imagina a maravilha que era inserir um monte de números e receber os resultados em segundos. Era como se os números estivessem sendo realmente triturados para formar o resultado.

Conversando com uma amiga economista, descobri que existe a expressão “torturar os números” e vários memes pela internet.

Talvez você já tenha visto a frase “A estatística é a arte de torturar os números até que eles confessem”. A frase original em inglês é “If you torture the data long enough, it will confess to anything” atribuída a Ronald Coase, economista britânico, ganhador do Nobel de Economia em 1991. O sentido nesse caso é manipular os números para chegar ao resultado esperado. Não confunda os dois.

Por falar em confundir, ainda tratando de números, reais ou metafóricos, segundo o Collinscrunch como substantivo em inglês americano também pode significar uma crise financeira. E em inglês britânico, crunch point (ou apenas crunch) pode ser o ponto crítico, ou a gota d’água.

Com tantos significados relacionados, é preciso prestar atenção ao contexto para não escorregar numa casca de banana e traduzir laranjas como maçãs.

Referências:
The Free Dictionary
Merriam-Webster
word hippo
Collins

 

 

Call an audible

Call an audible é uma daquelas expressões em inglês que não tem uma correspondência em português. E você também não vai ouvir em nenhum filme inglês, a não ser que o personagem seja americano.

A origem da expressão está no futebol americano, aquele que não tem nada a ver com o nosso futebol. Mas também é usada coloquialmente e em contextos de negócios.

Não encontrei muitas referências, mas a explicação é a seguinte:

No futebol americano, é quando o quarterback faz uma alteração no último instante antes de uma jogada em função do alinhamento inesperado da defesa.

Nunca fui capaz de entender as regras do futebol americano, mas deu para entender a expressão e como ela se aplica a contextos não relacionados com o jogo.

Quando um personagem diz que ele “called an audible” normalmente quer dizer que ele tomou uma decisão de última hora porque a situação mudou.

 

 

Not have a leg to stand on

Escutei a frase “I don’t have a leg to stand on” hoje assistindo um episódio de Suits, e ela me chamou a atenção porque a legenda não fazia sentido. O personagem queria dizer que não tinha argumentos para sustentar a posição dele, mas a legenda dizia “Eu não tenho provas”. Provas e argumentos são coisas bem diferentes, e não é só porque é uma série de advogados, as provas têm precedência.

Óbvio que fui pesquisar e aí entendi a confusão.

O The Free Dictionary diz: to be in a situation where you cannot prove something.

No Cambridge a explicação está de acordo com o que eu havia entendido: to have no good arguments to support your position.

O MacMillan resume as duas definições anteriores: to not have any way of proving that you are right about something.

Resumindo:
Not have a leg to stand on pode ser traduzida como não ter provas, mas faz mais sentido como não ter argumentos. Como sempre, tudo depende do contexto e, nem sempre a primeira tradução que a gente encontra é a mais adequada.

Você achou que tinha a ver com pernas? Na verdade, se pensarmos na tradução literal, sem alguém não tem uma perna para se manter de pé quer dizer que a pessoa não tem suporte.

 

Piece of work

Já escutei a expressão piece of work muitas vezes como em “She’s a piece of work!” e quase sempre entendi como “Ela é uma figura!”, uma pessoa excêntrica, única, mas no bom sentido.

Como se diz em inglês, as it turns out, I was wrong. Dizer que alguém é a piece of work não é um elogio, muito pelo contrário, como se pode ver pelas definições abaixo.

A person who has a strong and unusual personality, especially one with seriously unpleasant character flawsWiktionary

used to say that someone is unusually unpleasant or behaves unusually badlyMacMillan

a complicated, difficult, or eccentric person Merriam-Webster

Sendo assim, quando se diz que uma pessoa é a piece of work, estamos dizendo que ela é uma pessoa difícil, que dá trabalho. Você pode acrescentar outros adjetivos não tão educados, se quiser.

Mas, porém, contudo, todavia, as it turns out, I was not so wrong.
T
ambém encontrei algumas ocorrências não registradas em dicionários que definem piece of work como uma pessoa interessante e divertida.

E há também muitos casos onde piece of work pode ser utilizado de forma irônica ou sarcástica.

É preciso prestar atenção ao contexto e à entonação! 

 

 

 

 

Piece of work também pode ser definido como

a product produced or accomplished through the effort or activity or agency of a person or thing“,

ou seja, um trabalho ou uma peça.

De acordo com a Wikipedia, a origem da expressão vem desta fala de Hamlet, de Shakespeare.

What a piece of work is a man! How noble in reason, how infinite in faculty! In form and moving how express and admirable! In action how like an Angel! In apprehension how like a god! The beauty of the world! The paragon of animals! And yet to me, what is this quintessence of dust? Man delights not me; no, nor Woman neither; though by your smiling you seem to say so.

Pregnant pause

Você já tinha escutado a expressão pregnant pause? Eu não, mas a internet é assim mesmo. A gente procura por uma coisa e descobre dez outras que nem precisava. E nisso, cinco minutinhos viram duas horas.

Mas pregnant pause é uma expressão muito peculiar para deixar passar. Já imaginaram uma “pausa grávida”?

A Wikipedia explica que uma pregnant pause é uma técnica utilizada por comediantes de stand-up para criar um suspense antes do final da piada.

No Wiktionary a explicação é mais genérica – A pause that gives the impression that it will be followed by something significant.

No Longman a descrição tende para o lado da poesia – a pause or silence which is full of meaning or emotion.

É uma pena que não podemos chamar de “pausa grávida” porque, afinal, faz todo o sentido. É uma pausa que antecede algo importante, cheio de significado.

Procurei pela origem da expressão, mas tudo o que descobri é que é uma metáfora. Para aqueles que pensam que se pode encontrar de tudo na internet, essa é uma prova de que essa afirmação é falsa. Só se encontra aquilo que alguém postou. Se você descobrir a origem, conta pra mim.

 

 

Pass the time of day

Quando estava pesquisando “give the time of day” encontrei a expressão pass the time of day que nunca tinha escutado antes, pelo que eu me lembre.

Também é possível que ela nunca tenha me chamado a atenção porque em contexto pode parecer algo como “passar o tempo”.


Mas os dicionários me dizem que pass the time of day não significa passar o tempo.

De acordo com o Collins:
If you pass the time of day with someone, you have a short friendly conversation with them.

E no Cambridge: to have a short informal conversation

Então, pass the time of day quer dizer bater papo, conversar.

Mas. Quase sempre tem um mas. Em alguns dos exemplos que vi por aí, pass the time of day também pode ser entendido como passar um tempo juntos, ou passar para bater um papo. Tudo depende do contexto.

 

Give the time of day

Give the time of day é uma expressão que parece não ser muito conhecida em português. Por que afirmo isso? Pela quantidade de traduções literais que escutei por aí. Algumas são até bem engraçadas.

É mais comum encontrar a frase na negativa: Not give (somebody) the time of day.

A melhor definição que encontrei foi no Dictionary.com:

Ignore someone, refuse to pay the slightest attention to someone, as in “He’s tried to be friendly but she won’t give him the time of day“.
This expression, first recorded in 1864, alludes to refusing even to answer the question “What time is it?”

Em português poderíamos dizer ignorar, não dar atenção, mas também temos uma expressão que traduz bem o sentido: não dar bola ou não dar pelota.

Uma das coisas boas de pesquisar expressões é que sempre aprendo alguma nova.

Flying colors

Você já deve ter ouvido a expressão “He/She passed with flying colors“.

Não são cores voadoras ou cores reais, ou qualquer outro tipo de cores, como já escutei por aí.

É fácil encontrar a definição em qualquer dicionário em inglês disponível na web:
outstanding success; triumph
with distinction
with notable victory or success
if you do something with flying colors, you do it extremely well

A Wikipedia tem um artigo explicando a origem da expressão. Vem da época das navegações – quando um barco regressava ao porto com a bandeira hasteada era sinal de que tinha vencido os inimigos. Colour (em inglês britânico) era uma outra palavra para bandeira.

A tradução em português pode ser qualquer uma dessas, basta escolher a que for mais adequada ao contexto:
com distinção, com louvor, muito bem, de maneira exemplar, com sucesso

Aí, hoje escutei a frase “They failed, with flying colors“.

Quando a gente pensa que já domina uma expressão, vem alguém e dá uma nova conotação pra ela. Mas fazer o quê, não é mesmo?  A língua é viva e está sempre ganhando novas expressões e significados.

Mas nenhuma das traduções acima serve então, eu precisava achar uma outra que fizesse sentido no contexto.

A que eu acho que se encaixa melhor é “Eles falharam espetacularmente“.

Se você tiver outra, mande a sua sugestão. Uma das coisas boas de trabalhar com textos é que estamos sempre aprendendo.